8 de set de 2010

DA NATURALIDADE DO SER


Pare o medo de sentir
De se expandir
De simplesmente ser
Sem rotular ou descrever
-
Detenha o medo de ter
No outro a alegria do estar
Do permanecer e se alegrar
E deixar se embevecer
-
Que a vida é simplesmente amor
A flor nasce e nos doa o perfume
Sem cobrar por sua beleza e cor
-
O sentimento é natural do viver
Não envolve posse ou comando
Apenas sinceridade de sentir e ser
-
Criado e postado por Márcia Fernandes Vilarinho Lopes
Da série "Homenagem à vida"

6 comentários:

Suziley disse...

E viva a vida, a naturalidade do ser!! Linda poesia Márcia querida!! Um grande beijo, boa noite! Divulguei este seu blog no mês de agosto. Pois ele é muito lindo!! :)

Amor feito Poesia disse...

Vem do mar esse gosto de poesia
trazido pelo vento nas areias
a embalar a clara luz do dia...

£uma

Beijos poéticos neste dia! M@ria

RECANTO DA POESIA disse...

Todos os dias são dias de primavera
Perfume carregado de saudades
Saudades de minhas quimeras!

M@ria

Beijos perfumados na alma! M@ria

Amor feito Poesia disse...

" Quisera eu ...
Ser o jardineiro de minh'alma.
Formar canteiros de sentimentos
Regar meus sonhos
Podar minhas dores "

Bruno de Paula

Feliz Sábado....Beijos de coração prá coração! M@ria

Amor feito Poesia disse...

Olham-me com teus olhos as estrelas maiores.
E como eu te amo, os pinheiros no vento,
querem cantar o teu nome, com suas folhas de cobre.

Pablo Neruda

Amor & paz no belo amanhecer!Beijos!! M@RIA

RECANTO DA POESIA disse...

" De todas as Primaveras ...
A mais linda
Encontra-se nos olhos
De quem nos ama "

=- Bruno de Paula -=

Beijos de coração prá coração! M@ria